Reflexos da Crise Económica nas Famílias

0

Como é sabido os reflexos da crise económica nas famílias, veio obrigar à mudança de hábitos e à tomada de decisões, fique por dentro desses reflexos profundos e muito sentidos. Muita gente pode referir a retirada de alguns privilégios e hábitos, como jantar fora menos vezes ou então comprar menos roupa. Com o desenrolar da crise e o devido ajuste, muito tem mudado e vai mudar, tornando esta questão inevitável e assim sendo importa quantificar quais foram essas mudanças e onde se verificaram.

Emigração

Desde 2008 a partida de Portugueses para fora das fronteiras não pára de aumentar, suplantando mesmo os números da década de 60, não se conhecendo ao certo quais os verdadeiros números desta diáspora. A falta de soluções leva a este caminho como maneira de fugir ao um futuro incerto no pais.

Leia também: Está desempregado e quer emigrar

 – E o seu automóvel novo?

Com o aumento do desemprego a baixa de salários o reflexo na economia real é inevitável, logo a compra de bens duradouros é penalizada, a aquisição de automóveis é um destes casos, assiste-se assim a quedas na compra de veículos de todas as categorias, a falta de incentivos fiscais e de abate de automóveis pode também pesar na hora da compra. Este é um sinal da falta de força da economia, os combustíveis assinalam uma queda nas vendas a nível geral bem como uma diminuição de veículos a circular nas estradas

Leia também: Poupar combustível quer saber como?

As marcas brancas

Como não é novidade as marcas brancas de produtos alimentares e não só, registam um aumento substancial do seu consumo, principalmente devido aos preços menores, a diferença de qualidade muitas vezes não se regista ou é insignificante. Deste modo a opção por marcas brancas é viável e de assinar contribuindo para uma poupança efetiva de dinheiro ao orçamento familiar.

E o arrendamento?

As dificuldades económicas que os Portugueses atravessam e a dificuldade no acesso ao crédito bancário na compra de habitação são uma realidade, neste sentido a tendência é arrendar, mesmo pelo valor atrativo, a quantidade de casas disponíveis para arrendamento e pela mobilidade geográfica.

Leia também: Arrendar casa compensa?

Férias caseiras

Há quanto tempo não tem férias? Pois bem, as férias parecem já não ser possíveis para uma grande fatia dos Portugueses resta só então a possibilidade de as férias serem caseiras ou em casa de amigos e familiares, poupando dinheiro. Outra possibilidade é o coachsurfing, já utilizado por alguns e desejado por outros tantos.

Não perca a oportunidade de assim aproveitar e beneficiar destas orientações sobre os reflexos da crise económica nas famílias. Transmita-nos as suas opiniões! Partilhe este artigo, ou deixe um comentário.

Veja Também:

Deixar Resposta